Leilão Celebridades: a festa do Mangalarga Pampa

O mais esperado leilão anual da raça se consolida na oferta de produtos prontos para o usuário final, abre portas para novos investidores.

 

Com 100% de liquidez, 12 novos investidores e 50% dos compradores usuários de cavalos, o Haras Lagoinha comemorou mais uma edição de sucesso do Leilão Celebridades Mangalarga Pampa realizado no sábado, 27 de maio, no Centro Hípico Lagoinha, em Jacareí (SP). Este ano em 9ª versão e com a temática ‘Evolução’, o leilão promovido por Marisa Iório e Paulo Eduardo Corrêa da Costa atraiu um público presencial superior a 800 pessoas  além de

compradores, via Canal Business, dos  Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal. No balanço do movimento comercial, foram faturados R$ 1.296.000,00 em 41 lotes e uma média de R$ 31.609,75 já abatidos as mais de 20 coberturas vendidas, elevando a média de R$ 29,370,00 antes divulgada.

Foi um sucesso, missão cumprida”, comemorou Marisa Iório. “Estou muito feliz com os resultados, acima das nossas expectativas, pelo trabalho da equipe e pelo público que veio nos prestigiar. O Paulo foi muito brilhante quando colocou a evolução como temática do leilão, porque ela representa o tripé da nossa criação: genética, manejo e equitação”, diz.

Além das ofertas para atender de criadores tradicionais a iniciantes em busca de genética diferenciada, o “Celebridades” direcionou parte de seus lotes para o consumidor final, com produtos muito bem equitados, apresentados ao som de violino, encantando o público e promovendo acirradas disputas. “As pessoas estão ávidas por este tipo de produto: animais mansos para passeios e cavalos castrados que atendam pessoas com mais idade, segmento que tem um amplo mercado na Europa e nos Estados Unidos, e que acreditávamos ser inexistente no Brasil, mas que na realidade é promissor, mais uma razão para que nós que criamos tenhamos a sensibilidade para observar esta demanda”, comenta Marisa.

Para o criador Paulo Eduardo, o que impressionou foram as 882 pessoas presentes no controle de entrada da propriedade e mais ainda, o enorme contingente que permaneceu até a batida do martelo do último lote. Um show somado ao destaque que as apresentações de funcionalidade organizados pelos titulares do criatório apresentaram toda docilidade e adestramento de seus animais, marcas importantes da raça. A isso se somam os filmes projetados, os shows de músca, muita alegria e comemoração.

O leilão foi um sucesso de faturamento, acima do esperado, ainda mais no cenário econômico que o país vive. Foram 38 compradores, 12 deles ingressando na raça. O evento é uma aula de profissionalismo, de seleção, preparação, marcha e beleza dos animais e também de como trazer novos adeptos para o Mangalarga Pampa. O Haras Lagoinha é um cartão de visitas da raça”, diz Alexandre Todeschini, da Business Leilões, que comandou o leilão, e recém-eleito presidente da ABCCPampa – Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Pampa.

OS DESTAQUES

Zelândia do PEC foi o animal mais valorizado do 9º Leilão Celebridade. Esta matriz reserva do plantel atingiu a cifra de R$ 75.640,00 em lance final de Marcelo Malzone, da Fazenda Rio das Pedras, de Jundiaí (SP). Pampa de alazã, Zelândia do PEC (Vanerão do HIC x Ucrânia do PEC) é detentora de cobiçados títulos em morfologia e andamentos em exposições do Pampa e do Mangalarga, além de produtora de vários campeões.

O segundo maior preço do pregão foi de outra matriz, Bolívia do PEC (Porto Belo do PEC x Uganda do PEC), Grande Campeã Nacional Égua Mangalarga Pampa de 2015 arrematada por R$ 55.800,00. Entre os machos, o maior preço foi de Edimburgo do PEC (Zagros do PEC x Juréia do Gerezin) que alcançou R$ 44.640,00 na batida do martelo.

O maior comprador do 9º Leilão Celebridades Mangalarga Pampa foi o Haras Santo Antônio, de Caçapava/SP que investiu R$ 191.580,00 em aquisições para melhoramento genético do seu plantel.

No comando do martelo esteve mais uma vez Guilhermo Sanches e no cerimonial de abertura e encerramento Marcelo Pardini.

Hoje, a raça se divide em dois segmentos: os que querem constituir um plantel e as pessoas que querem montar no final de semana. E este usuário final sem sombra de dúvida escolhe o Pampa. E muitas vezes o usuário de hoje passa a ser o criador de amanhã. Este é um ponto importante da raça. Neste leilão, o público foi bem dividido e tivemos muitos usuários comprando animais para montar, outros iniciando uma criação e alguns criadores grandes compraram para aperfeiçoar sua criação. Tivermos muita gente nova investindo na raça”, observou Todeschini.

Marisa Iório, conhecida por seu trabalho pioneiro e solitário no desbravamento de algumas fronteiras para o Mangalarga Pampa, como da necessidade de se buscar uma equitação maior, desenvolver a funcionalidade da raça e ampliar a participação em competições esportivas, como a Equitação de Trabalho, também sonha e planeja exportar os produtos da marca PEC. Iniciativas para promoção do Mangalarga Pampa no exterior ela já teve, como três participações na Fieracavalli, na Itália, a primeira delas em 1990.

Incansável, a criadora já planeja o próximo Leilão Celebridades: “Será nossa 10ª edição e 35 anos de criação. Vamos fazer uma festa ainda maior para comemorar”, avisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *