Hipismo brasileiro chega aos Jogos Panamericanos com chances de medalhas

Time Brasil compete em três modalidades – Adestramento, Concurso Completo e Salto – primeiramente em busca de medalhas por equipe, passaporte obrigatório para o país garantir vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020. A 1ª modalidade é o Adestramento que começa em 28/7.

Com representantes da elite das três modalidades hípicas olímpicas – Adestramento, Concurso Completo de Equitação (CCE) e Salto – o Time Brasil de Hipismo começa a maratona de provas nos Jogos Pan-americanos 2019 em Lima, no Peru, a partir do próximo domingo, 28. O objetivo principal é garantir medalha por equipe e, consequentemente, vaga para o país nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Adestramento: O time é formado por cinco conjuntos (cavalo/cavaleiro): João Paulo dos Santos montando Carthago Comando SN

João Victor Marcari Oliva com Biso das Lezírias

Mauro Pereira Junior com Don Enrico AMM

Pedro Tavares de Almeida montando Aoleo]

Leandro Aparecido da Silva com Dicaprio (no Big Tour)

Somente em Pan-americanos é permito formato misto de provas de Adestramento (Small e Big Tour) visando garantir maior participação. Já em Olimpíadas as provas são exclusivamente Big Tour.

Somente os cavalos da modalidade Adestramento saíram do Brasil para o Peru. Os cavalos do Concurso Completo e Salto saem da Europa. 

O Adestramento abre o calendário de provas hípicas no domingo, 28, a partir das 09 horas, com as reprises Prix St. George (Small Tour) e Grand Prix Prix (Big Tour), com resultados válidos para qualificação individual e por equipe. Na segunda-feira, 29, a partir das 08h30, acontecem as reprises Intermediária I (Small Tour) e Grand Prix Special (Big Tour) que definem o pódio por equipe e a qualificação final para a disputa por pódio individual: participam os três melhores conjuntos de cada equipe.

Na quarta-feira 31, das 09 às 13h, o Freestyle – prova com coreografia livre e música – Intermediária I (Small Tour) e GP Special (Big Tour) definem o pódio individual.

Concurso Completo de Equitação (CCE): Segunda modalidade do hipismo no Pan, a  partir de 2/8, o Time Brasil de CCE conta com os conjuntos:

Carlos Parro montando Quaikin Qurious

Marcelo Tosi com Starbucks

Márcio Appel montando Iberon JMen

Rafael Mamprin Losano com Fuiloda G

Ruy Fonseca montando Ballypatrick SRS

A modalidade é dividida em três provas que se realizam em dias subsequentes: Adestramento na sexta-feira, 2/8, Cross-country no sábado 3/8, e Salto no domingo, 4/8. A soma do resultado das três provas define os pódios por equipe e individual.

Salto: o time brasileiro é formado por:

Eduardo Menezes montando H5 Chaganus

Luiz Felipe de Azevedo Filho com Hermes Van de Vrombautshoeve

Marlon Modolo Zanotelli montando Sirene de La Motte

Pedro Veniss com Quabri de L’Isle

Rodrigo Lambre com Chacciama

O Salto fecha as disputas hípicas no Pan de Lima com competições que começam no dia 6 de agosto apresentando a primeira qualificativa por equipe e individual. Na quarta-feira, 7/8, se define o pódio por equipe com resultados válidos como 2ª qualificativa individual. Na sexta-feira, 9/8, acontece a final individual.

Dos cinco conjuntos de cada modalidade do Time Brasil, um será reserva, definição que a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) só tomará em Lima.

O hipismo brasileiro soma 26 medalhas em Panamericanos, considerando-se as conquistas por equipe e individuais das três modalidades: seis de ouro, sete de prata e 13 de bronze. O Salto tem 13 (8 por equipe), CCE soma oito (seis por equipe) e o Adestramento cinco (quatro por equipe).

As competições hípicas no Pan de Lima têm como palco o Club Hípico Militar de La Molina, em Lima, situado em uma área de 27 hectares que inclui três arenas para Adestramento e Salto, além de pistas de aquecimento e treinamento e um percurso de cross country.

De olho em Tóquio 2020

Em Lima, as três primeiras equipes classificadas no Salto carimbam o passaporte de seus países para as Olimpíadas. Já no Adestramento e no CCE, as duas primeiras classificadas se garantem em Tóquio. No entanto, caso os Estados Unidos conquistem medalha no Adestramento e/ou Salto, abre-se mais uma vaga, uma vez que os norte-americanos já asseguraram presença em Tóquio 2020 durante os Jogos Equestres Mundiais de Tryon 2018 nos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *